Blog Canivete

publicado em 14 de dezembro de 2020

O QUE LEVAR EM CONTA NA HORA DA COMPRA DA SEMENTE FORRAGEIRA

Como planejar e escolher a melhor semente para a sua operação.

Se não fosse o pasto, talvez a pecuária de corte nacional não seria líder mundial. E mesmo assim o pasto é negligenciado por muitos, seja em sua manutenção (adubação, correção, e manejo) ou em sua implementação (preparo do solo, adubação e correção do solo e escolha da semente). Problemas durante a implementação da forrageira podem causar prejuízos durante todo o ciclo de produção, por isso é importante escolher bem a semente, já que é ela que dará origem ao alimento do rebanho.

Na escolha da semente devem ser levado em consideração alguns fatores, como o índice de pureza, viabilidade e vigor.  O custo-benefício também é um fator que deve ser levado em conta no momento da escolha. Mostramos como calcular o custo por hectare em nosso último artigo.

Sementes revestidas, devido a sua maior qualidade, geralmente apresentam um menor custo por hectare, já que apresentam um índice de pureza maior (livres de sujeira, pragas e doenças). A resistência ao estresse mecânico que as semeadeiras causam (e que podem diminuir a eficiência de sementes de menores qualidade) é outro fator para se considerar, além do aumento da precisão e rendimento no plantio pela uniformidade.

O tratamento industrial das sementes blindadas inclui Vitavax-Thiram e Fipronil, ou seja, haverá menos ataque de fungos e formigas, portanto, mais sementes no solo. Segundo Mallmann, et al. (2013), alguns fungos são capazes de reduzir a viabilidade das sementes, outros, com crescimento rápido e agressivo como Fusarium sp. e Phoma sp. podem promover a morte da semente antes mesmo de sua germinação. A mancha foliar do Panicum, de alta severidade em Tanzânia, compromete a sustentabilidade do pasto e a saúde financeira da operação, é causada por Bipolaris sp., que pode estar presente em lotes de sementes contaminados.

Para quem faz algum tipo de integração (lavoura-pecuária, lavoura-pecuária-floresta), os riscos de prejuízo podem ser ainda maiores. Juliatti et al., (2016) evidencia que sementes contaminadas com escleródios do mofo-branco (Sclerotinia sclerotiorum) ou infectadas pelo micélio do fungo são as principais responsáveis pela introdução e sustentação da doença no campo. Para se ter uma noção do prejuízo, o mofo-branco, com 10% de infestação, pode reduzir de 147 kg/ha a 263 kg/ha de soja, além de seu controle químico ser caro e com eficácia variada. A melhor maneira é se prevenir.

Além dos fungos, as sementes podem carregar plantas daninhas e nematoides, por isso, a importância de comprar uma semente de qualidade.

Quais as vantagens de antecipar a compra da minha semente forrageira?

O início das águas pode causar um aumento do preço dos insumos devido à maior demanda, então a antecipação da compra (com a retirada das sementes mais próxima ao plantio) pode significar uma maior segurança nos custos.

A antecipação da compra também praticamente elimina o risco do atraso do plantio, que muitas vezes ocorre devido à falta de disponibilidade do produto no dia. Garante também o produto alvo, já que com o início das águas a demanda aumenta, assim como aumenta o risco de esgotar a semente desejada.

Como armazenar as sementes sem comprometer sua viabilidade

O ideal seria comprar as sementes e plantar, mas caso precise fazer o armazenamento na propriedade, é importante seguir as seguintes dicas para não comprometer a viabilidade das sementes:

  • Controle de umidade: O estoque deve estar sempre ventilado, mantendo a umidade no máximo a 60%;
  • Controle de temperatura: A temperatura deve estar entre 18ºC e 25ºC;
  • Não usar embalagem plástica: As sementes devem ser estocadas em seu saco original, mas caso seja necessário armazenar em outro recipiente, não se deve utilizar lonas ou materiais plásticos que impeçam sua respiração. O ideal é colocar em materiais como a juta, tecido ou papel. Caso queira realizar uma amostragem da semente e enviá-las para análise, também deve ser utilizado saco de papel. Caso a semente chegue em palets e enroladas com filme plástico, o filme deve ser retirado rapidamente, ou fazer furos com cuidado para não rasgar a sacaria;
  • Sob paletsAs sementes não podem ser deixadas encostadas diretamente na perede ou diretamente no chão, o ideal é deixa-las sob palets;
  • Afastadas de agroquímicos e/ou fertilizantes: As sementes quando em contato com a ureia ou o sal, por exemplo, podem desidratar;
  • Cuidado ao empilhar: A altura do palet não deve passar de 2,80 metros para não danificar as sementes que estão na parte inferior da pilha;
  • Limpeza: Para evitar pragas e roedores, o local deve estar sempre limpo.

Mantenha-se atualizado! Cadastre seu contato aqui, vamos te informar sempre que sair um novo conteúdo, em primeira mão!

    Andreza Cruz

    Engenheira Agrônoma pela ESALQ/USP com foco em manejo de pastagem (com o prof. Dr. Moacyr Corsi).
    Há 5 anos trabalho na SOESP com semente de pastagem na área técnica.
    Experiência com manejo de ovinos a pasto na Nova Zelândia.
    Integrante do Conselho Gestor da Associação Rede ILPF.