Blog Canivete

publicado em 24 de julho de 2021

NUTRIÇÃO ANIMAL: O QUE É MANEJO NUTRICIONAL DE GADO?

Genética, sanidade e nutrição animal: Você conhece a relação entre eles? A resposta é simples: elas formam um tripé fundamental que sustenta a criação de bovinos.

A eficiência na gestão desses processos possibilita ao produtor alcançar resultados satisfatórios, com maiores margens de lucratividade. E para obter uma boa eficiência produtiva, é importante que o manejo nutricional de bovinos de corte obedeça a práticas eficientes de manejo nutricional.

Dentro da nutrição animal, há diferentes variáveis que podem influenciar no sucesso deste manejo. Por isso, a alimentação combinada com manejo nutricional de gado de corte representa um assunto bastante complexo.

E quando falamos em pecuária de corte brasileira essa complexidade se torna ainda maior, uma vez que as diferenças nos sistemas de produção variam de região para região.

Somam-se a isso as condições climáticas e ambientais que mudam ao longo do território nacional, variedade da composição nutricional da dieta utilizada para os animais nos diferentes sistemas, diversidade de forrageiras disponíveis, entre outras questões.

Todavia, há alguns princípios que devem ser levados em conta para se fazer um bom manejo nutricional de bovinos de corte, independente das variáveis como raça, espécies forrageiras disponíveis e condições climáticas. Para te ajudar a desenvolver um manejo adequado e obter bons resultados na sua fazenda, trazemos aqui orientações importantes.

Manejo nutricional dentro da nutrição animal: O que significa?

Pode-se dizer que o manejo nutricional é um dos principais pilares da pecuária. Assim, se você almeja obter uma boa eficiência produtiva precisa considerar que o manejo nutricional do seu rebanho bovino deve ser fundamentado em conhecimentos técnicos e aprofundados sobre nutrição animal.

Dessa forma, é fundamental elaborar estratégias que busquem o melhor desempenho nutricional do rebanho. Elas não podem ser realizadas com base em achismos ou apostas, mas fundadas em estudos aprofundados, dados e técnicas que possibilitam um real aumento da eficiência produtiva.

Quando aplicadas as boas práticas nutricionais, além de aumentar o desempenho e a lucratividade, é possível também reduzir os custos operacionais, levando em conta que a alimentação corresponde a 70% do custo total.

Exatamente por isso é extremamente importante se atentar para as boas práticas nutricionais do seu rebanho! Afinal, conhecimento em nutrição animal nunca é demais e, nesse caso, pode refletir na qualidade da produção e no rendimento do pecuarista.

Qual o melhor alimento para o gado de corte?

Obter uma maior rentabilidade na pecuária não pode mais ser visto como um diferencial, mas sim um fator imprescindível para a criação de gado de corte. Uma nutrição animal à base de alimentos ricos em vitaminas e minerais favorecem um maior crescimento, ganho de peso e rentabilidade dos bovinos.

Para isso, é fundamental que o produtor conheça as categorias de alimentos que compõem a dieta do rebanho, sendo importante conhecer os pilares da nutrição animal para que os seus animais se mantenham vivos, com saúde, produzindo mais e gerando maior rentabilidade.

Cabe ao profissional indicar os alimentos certos para nutrição dos bovinos, para oferecer os nutrientes necessários de acordo com as exigências do animal.

Diante de tantas possibilidades surge a dúvida: qual o melhor alimento para oferecer ao bovino de corte?

Algumas questões fundamentais precisam ser levadas em conta na hora de optar por um determinado tipo de alimento, como as necessidades nutricionais de cada animal, rapidez  no alcance de peso desejada, viabilidade econômica e disponibilidade de alimentos, que varia de acordo com cada região.

As classificações dos nutrientes e as categorias dos alimentos que fazem parte da dieta dos bovinos de corte também são pontos importantes a se considerar dentro do amplo contexto da nutrição animal.

– Principais alimentos para bovinos de corte

Os alimentos mais utilizados pelos pecuaristas para a nutrição do gado são as pastagens, forrageiras para corte e silagens. Esses são alimentos volumosos e contêm alto teor de fibra bruta, mais de 18%. Com baixo valor energético, eles correspondem à soma de todos os nutrientes digestíveis (exceto vitaminas e cinzas dos alimentos).

Já os alimentos concentrados têm alto teor energético (menos de 18% de fibra bruta), com maior concentração de nutrientes do que os volumosos e são divididos em energéticos e proteicos.

Energéticos: podem ser representados essencialmente pelos grãos de cereais, como arroz, milho, sorgo, trigo e seus derivados, bem como os óleos de origem vegetal.

Proteicos: podem ser de origem vegetal (soja, algodão, etc.).

No Brasil, o alimento concentrado mais utilizado para a nutrição animal é o grão de milho triturado. Este produto possui valor nutritivo de qualidade. No entanto, a fonte proteica mais utilizada é o farelo de soja, que oferece alto teor energético, vitamina D e baixo teor de cálcio e de fibra. Os coprodutos da indústria de etanol de milho vêm crescendo em produção e utilização e são excelentes substitutos para o farelo de soja em tempos de alta de preço. Temos um artigo só explicando o que é o DDG e suas variações, assim como seu uso.

– Suplementação a pasto

As pastagens são a principal fonte de alimentos para ruminantes no Brasil, em grande parte favorecidas pelo clima tropical predominante no país, que ajuda no desenvolvimento das forrageiras.

Por mais que no período de chuvas a planta forrageira esteja com maior massa verde, normalmente ainda não é suficiente para fornecer o que o animal precisa para atingir seu potencial genético e até mesmo o econômico. As plantas nesta época costumam apresentar elevado teor de fibra em detergente neutro (FDN), que tem lenta taxa de degradação ruminal, além dos teores de proteína bruta (PB) também serem relativamente baixos, o que limita o desenvolvimento da microbiota ruminal.

Minimizar estes efeitos significa elevar a rentabilidade e o desempenho animal. É justamente este o objetivo da suplementação múltipla (mineral, vitamínica, proteica e energética). A suplementação dos animais busca equilibrar teores de fibra e proteína para melhorar os índices zootécnicos, promover redução do tempo de permanência no pasto, reduzir idade de abate ou até mesmo favorecer a diminuição da idade ao primeiro parto.

No entanto, em períodos de seca ocorre uma redução natural no crescimento das forrageiras e, consequentemente, a perda de seu teor nutritivo.

Os sais proteinados, são especialmente úteis no processo de engorda do gado, especialmente na seca. Dependendo da quantidade fornecida, podem tanto manter o peso dos animais quanto aumentá-lo, já que são compostos por fontes de energia, como o milho e o sorgo, além de fontes de proteína, como a ureia e os farelos vegetais (soja, algodão, trigo).

Esse tipo de suplemento concentrado, se fornecido em quantidades estrategicamente planejadas, compensa o investimento, exatamente por apresentar grande eficiência no aumento de peso dos rebanhos.

Como fazer uma alimentação balanceada para gado de corte?

Escolher uma boa ração para bovinos de corte é crucial para o sucesso da produção pecuária. Mas você sabe o que considerar na hora de escolher a melhor ração para seus animais? Há uma série de fatores que merecem atenção especial do produtor no momento de fornecer esse tipo de alimento, entre eles:

  • Composição da ração

Essa é uma das questões mais importantes na hora de escolher a melhor ração. Também é preciso estar atento à qualidade dos ingredientes que compõem a dieta, assim como os níveis de garantia dos componentes e os aditivos presentes.

  • Raça e condições da fazenda

A raça do gado é um fator determinante. Faz-se necessário que esta seja bem adaptada ao clima e às condições da fazenda. Dessa forma, é possível evitar perdas na produtividade em decorrência de estresse térmico, baixa resistência à seca ou à umidade, entre outros fatores.

  • Necessidade de suplementação

A suplementação alimentar visa garantir a quantidade necessária de nutrientes quando a forrageira não consegue suprir as exigências nutricionais dos animais. Essa é uma estratégia bastante utilizada em sistemas de confinamento, mas também vendo sendo aplicada nos sistemas cuja terminação é a pasto.

Assim, a formulação de uma ração implica em integração de conhecimentos relacionados com as exigências do animal, características nutricionais dos alimentos, e custo/benefício esperado.

A aplicação de uma boa dieta evita tanto a queda no desempenho do animal como o desperdício de nutrientes. Por isso é importante que você fique atento ao assunto para melhor nutrição animal!

Como melhorar o manejo nutricional?

Há algumas ações que podem ser feitas para melhorar o manejo e trazer bons resultados na produção por meio da nutrição animal.

A alimentação de qualidade é uma delas. Quando você trabalha com rações e suplementos de alta qualidade, é possível reunir diversos nutrientes em um só produto.

Outra dica é realizar ações que garantam o bem-estar animal, com sistemas de produção que contemplem o conforto proporcionado ao animal em todas as fases de sua vida. Para isso deve-se garantir que o rebanho fique livre de fome, sede, desnutrição, doenças, desconforto, dor e lesões.

Da mesma forma, é importante adaptar a fazenda para garantir uma alimentação adequada. Deve-se investir em instalações adequadas aos animais, com sombra e cochos para comida e água com dimensões corretas. Fique de olho também na segurança da estrutura física a fim de evitar possíveis acidentes.

Manter a vacinação do rebanho em dia também é essencial, evitando muitas doenças. Portanto, esteja sempre atento aos programas de vacinação de sua região.

Conclusão

O planejamento nutricional é fundamental para proporcionarmos aos animais condições ótimas para que possam expressar seu potencial genético.

Vimos que, para se obter boa eficiência produtiva, é importante que o manejo nutricional de bovinos de corte seja fundamentado em conhecimentos técnicos e aprofundados.

Outra questão que não podemos deixar de destacar dentro da nutrição animal é que a dieta pode variar de acordo com o sistema de criação, de confinamento, com a raça do animal ou as condições da região.

Assim, um profissional preparado e com ampla experiência em nutrição animal poderá te ajudar a desenvolver um manejo adequado para a sua propriedade, e que garantirá os resultados esperados, com a melhoria na qualidade do rebanho e na lucratividade da fazenda.

 

E você, quais ações têm realizado para garantir um manejo eficiente do seu rebanho no quesito nutrição animal?

 

Mantenha-se atualizado! Cadastre seu contato aqui, vamos te informar sempre que sair um novo conteúdo, em primeira mão!

    Pedro Silvestre de Lima

    Vivo a pecuária desde que nasci. Já fui monitor do curso Especialização em Nutrição de Ruminantes e Pastagens da ESALQ/USP durante dois anos e meio, trabalhei com consultoria técnica, empreendedorismo, mercado e inovação na pecuária de corte. Hoje atuo no fomento e disseminação de informações úteis e relevantes, com foco no lucro sustentável para o produtor rural.