Blog Canivete

publicado em 22 de junho de 2021

ENTENDA O QUE É SILAGEM E SUA IMPORTÂNCIA PARA A PECUÁRIA

Uma das estratégias mais tradicionais para o armazenamento do alimento para o gado é a confecção de silagem. Este é um alimento volumoso de boa qualidade que consiste numa forragem cortada, compactada, vedada e armazenada em silos para fermentação e posterior oferta ao gado.

A Silagem é uma estratégia essencial para períodos onde a oferta de forragem é reduzida. Afinal, nem sempre o pasto está em condições para alimentar todo o gado da fazenda por um longo período.

Quando bem produzida, a silagem tende a apresentar valor nutricional semelhante à matéria verde original. Exatamente por isso é bastante importante priorizar a qualidade da lavoura e seu processamento, garantindo uma boa nutrição ao gado.

Diante disso, vale entender o que é e quais são as características de uma boa silagem, assim como a importância desse volumoso para a sua fazenda.

O que é silagem?

A silagem é caracterizada como sendo uma forragem úmida preservada que é utilizada na alimentação de animais, principalmente bovinos, representando um volumoso que pode substituir o pasto durante o período de seca. Em confinamento a silagem é muito usada junto com concentrados, caso de grãos e farelos.

A produção da silagem tem por função garantir que a perda nutricional da forragem seja pequena, permitindo com que o alimento seja armazenado por um longo período, graças ao processo de fermentação controlada.

Essa fermentação é anaeróbica (sem a presença de ar) em que os açúcares solúveis em água são convertidos em ácido lático, ocorrendo o abaixamento do pH até um ponto em que há a inibição da fermentação microbiana.

Esse processo permite também boa estabilidade do material, além de uma melhor preservação da qualidade da forragem por longos períodos.

Importância da silagem para a atividade pecuária

A produção de alimento volumoso, particularmente no período seco do ano, quando as pastagens naturais se tornam precárias, é uma preocupação recorrente de pecuaristas. Como solução, o uso da silagem é uma excelente opção.

Na época de escassez de pasto, essa alternativa ajuda a suprir o cocho com forragens armazenadas, evitando o uso de grãos e outros suplementos que podem aumentar o custo de produção em até quatro vezes.

Além disso, a produção de silagem proporciona diversos benefícios às fazendas, tais como:

  • Permite a manutenção de um maior número de animais por unidade de terra, mesmo em período de pastagens escassas;
  • Auxilia na maximização ou manutenção da produção, em especial, nas épocas de seca;
  • Em confinamento, permite ofertar animais bem nutridos quando o preço está mais elevado;
  • Proporciona uma armazenagem de grande volume de forragem em pouco espaço.

Entretanto, o processo de ensilagem exige algumas precauções importantes. Gases oriundos da fermentação no interior do silo, micotoxinas liberadas quando a forragem apresenta umidade excessiva são fatores de riscos que devem ser evitados.

Dessa forma, para ter sucesso há a necessidade de que a produção da silagem seja bastante criteriosa. Isso depende de alguns fatores, tais como, a colheita de plantas no momento certo e com maturidade adequada, velocidade de colheita, procedimento de picagem e compactação, vedação do silo e manejo de abertura e retirada da silagem.

Recomendações para fazer uma boa silagem

A produção de silagem exige investimentos e por isso, sua produção deve ser muito bem planejada e criteriosa. “Às vezes a produção de silagem não se justifica. Depende do tamanho e nível de produção do rebanho, da topografia, da capacidade de investimento em máquinas, entre outros fatores”, afirma André Pedroso, pesquisador da Embrapa Pecuária Sudeste.

Assim, para tomar a melhor decisão é preciso fazer contas para definir se realmente vale a pena investir na silagem.

Ao fazer essas contas e se decidir pela silagem, cabe ao pecuarista ter um planejamento muito bem alinhado sobre cada etapa da produção, considerando os seguintes pontos:

Produção da lavoura

Em um primeiro momento a boa condução da lavoura é item essencial para uma boa silagem, com o pecuarista devendo pensar no processo como um todo, além da colheita, picagem e armazenamento no silo.

Uma lavoura de milho de baixa qualidade, por exemplo, tende a afetar a produtividade final da silagem, aumentando seu custo final.

Um cuidado que deve ser tomado é a definição do ponto de colheita. No caso da silagem de milho a lavoura deve ser colhida quando a metade superior dos grãos está no ponto farináceo e a metade inferior ainda leitosa. Isto geralmente ocorre 30 dias após o ‘ponto de pamonha’.

Escolha do maquinário adequado

Depois de definido o ponto de colheita, cabe ao pecuarista estar atento ao maquinário que ele vai utilizar no momento da colheita.

As máquinas, por exemplo, devem estar bem reguladas para proporcionar uma picagem uniforme e na velocidade certa. O tamanho das partículas deve ser entre 0,5cm e 1cm, exigindo lâminas bem amoladas.

Enchimento e compactação do silo

Essa etapa deve ocorrer da forma mais rápida possível, com a distribuição da silagem sendo constante, bem como a compactação de camadas finas. As camadas devem ter no máximo 30cm a 40cm de espessura e todas precisam estar bem compactadas.

Em silos tipo ‘trincheira’, a compactação deve ser feita com tratores de pneu, sendo que o efeito da compactação é efetivo apenas na camada superior, de 30cm a 40 cm de espessura, de forma que a compactação deve ser feita por etapas, à medida que a forragem vai sendo colocada no silo.

Assim, a recomendação é que a velocidade de chegada de forragem ao silo deve ser compatível e estar alinhadas à capacidade de compactação do silo.

Fechamento do silo

O fechamento do silo deve acontecer de forma calma e bastante cuidadosa. Obviamente o pecuarista deve optar por lonas de alta qualidade e que sejam dupla face, sem economizar com esse produto.

Após o fechamento inicia-se o processo natural de fermentação e a produção de ácidos a partir de açúcares presentes na forragem ensilada. Pesquisas indicam que o abaixamento do pH para aproximadamente 4 e a ausência de ar permite a conservação da silagem por período indeterminado.

Manejo de retirada do silo

Do ponto de vista de fermentação, um silo com 15 dias de vedação já está pronto para uso. No entanto, para se obter os ganhos máximos em digestão do amido, no caso de silagem de milho, é interessante que este silo permaneça fechado por pelo menos 60 dias.

Para a retirada existem duas recomendações. A primeira relaciona-se ao avanço diário, obedecendo uma fatia de corte de pelo menos 30 cm/dia. A segunda, é a relação de quilogramas de silagem por metro quadrado de painel de silo, com a recomendação de retirar 250 kg de silagem/m2 de painel.

Os 3S na produção de uma boa silagem: Muita atenção ao segundo “S”

A produção de uma boa silagem envolve um fator denominado de “3S”, que engloba Solo, Silo e Silagem como discutido no vídeo abaixo. É comum que, em relação ao Solo e à Silagem, produtores e técnicos tenham uma boa coordenação de todas as etapas, sendo muito bem amparados por questões técnicas.

No solo, o controle sobre todos os processos costuma ser bastante eficiente, sabendo o que plantou, quanto plantou e qual é a expectativa para a colheita. Ao realizar a colheita, ele sabe qual é a sua produtividade (toneladas de matéria verde ou toneladas de matéria seca/hectare) de sua lavoura.

Na outra ponta, uma silagem pronta tende a apresentar alta qualidade, tendo toda sua análise bromatológica realizada, permitindo que o pecuarista saiba exatamente como inserir esse volumoso na formulação nutricional de seus animais.

https://www.youtube.com/watch?v=5U_fMUIm_eg&t=12s

Porém, quando é discutida a questão do Silo a qualidade do trabalho não costuma ser a mesma, com o produtor negligenciando-a. Por vezes, o produtor não tem respostas à essas perguntas:

– Qual é a perda do seu silo?

– Quantos % de matéria-seca são perdidos?

– Qual é a temperatura em diferentes pontos da massa ensilada?

– Quanto de massa está sendo retirada diariamente do silo?

Para ter essas respostas, o silo deve ser gerenciado de forma profissional, com coleta de informações que permitam a tomada de decisões mais assertivas.

Para isso, o correto monitoramento do silo é primordial e deve ser realizado continuamente, desde o seu fechamento até o processo de abertura do silo, ou seja, durante 2 ou 3 meses subsequentes.

A partir do momento em que há o monitoramento do silo, possíveis adequações e melhorias serão tomadas mais rápido, impedindo surpresas desagradáveis apenas na abertura do silo.

 

Conclusões

A silagem é uma das ótimas opções em volumoso para o gado, principalmente na ausência de pastagens. No entanto, para se fazer uma boa silagem é preciso ter uma boa lavoura, cuidando desde o plantio de milho para silagem até a colheita.

Também é importante considerar todos os processos da produção de silagem, desde o enchimento do silo até o manejo de retirada do material do silo, exigindo por isso uma gestão profissionalizada e baseada em informações.

Executando essas recomendações com bastante cuidado, certamente sua silagem apresentará altíssimo padrão de qualidade, sendo aproveitada pelos animais sem medo. Aproveite todo esse conhecimento e boa ensilagem!

Mantenha-se atualizado! Cadastre seu contato aqui, vamos te informar sempre que sair um novo conteúdo, em primeira mão!

    Pedro Silvestre de Lima

    Vivo a pecuária desde que nasci. Já fui monitor do curso Especialização em Nutrição de Ruminantes e Pastagens da ESALQ/USP durante dois anos e meio, trabalhei com consultoria técnica, empreendedorismo, mercado e inovação na pecuária de corte. Hoje atuo no fomento e disseminação de informações úteis e relevantes, com foco no lucro sustentável para o produtor rural.