Blog Canivete

publicado em 15 de julho de 2021

5 DICAS PARA TORNAR A PRODUÇÃO PECUÁRIA MAIS LUCRATIVA

Com o maior rebanho bovino com interesse comercial do mundo, com cerca de 222 milhões de cabeças, segundo dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), o Brasil é referência na produção pecuária.

Além de referência, a pecuária brasileira é um sucesso no ponto de vista econômico, somando quase 8 bilhões de dólares em exportação, números que colocam o Brasil como o maior exportador mundial de carne bovina.

Diante desses números, a pecuária representa um setor bastante importante para o País, gerando emprego e renda. É também responsável por uma boa fatia do PIB nacional! Além disso, nossa cultura e a competência do pecuarista brasileiro fazem com que sejamos excelentes produtores de gado.

Para garantir essa excelência e destaque mundial, os pecuaristas precisam trabalhar bastante, mas acima de tudo, contar com apoio de soluções e ferramentas que os auxiliem em todas as
etapas do processo produtivo e de criação.

A pecuária de sucesso exige uma visão macro do sistema de produção – manejo do pasto, aproveitamento de capim, estratégias de suplementação, confinamento, dietas de alto grão.

Dessa forma, com o objetivo de favorecer o desenvolvimento da pecuária brasileira e auxiliar o produtor em seu progresso rumo ao sucesso, elaboramos este material. Nele apresentaremos
dicas que vão ajudar a tornar a produção pecuária ainda mais lucrativa.

Acompanhe agora 5 dicas que vão de encontro com a pecuária moderna, sustentável e mais lucrativa.

1- Ferramentas de gestão da atividade pecuária

Pode até parecer estranho, mas muitos agricultores e pecuaristas ainda não possuem controle de todos os processos dentro de suas propriedades.No caso da pecuária, essa ocorrência é ainda mais grave, pois o pecuarista precisa ter noção clara não apenas dos custos de produção da atividade, mas do status do rebanho. Sendo assim, contar com ferramentas que auxiliam na gestão é determinante para uma pecuária de sucesso.

Engana-se quem acha que é preciso desembolsar altos valores para conseguir isso. Muitas ferramentas são de baixo custo e outras tantas são gratuitas. Uma simples planilha, por exemplo, seja ela no computador ou na agenda, pode favorecer o controle de determinada atividade.

Portanto, adote uma ferramenta de gestão, afinal quando você tem ciência do que está acontecendo na sua propriedade, você passa a tomar melhores decisões e desenvolver metas que podem tornar a produção mais eficiente e lucrativa.

2- Uso de tecnologias

Na pecuária atual é quase impossível produzir de gado com lucro da mesma forma como se criava há 20 anos atrás. Um estudo feito pelo Instituto Inttegra de Métricas Agropecuárias, mostra que quem investe mais, tem mais retorno.

Quando falamos em tecnologia, logo pensamos em computadores, internet e todo esse universo ao redor disto, não é mesmo? Mas fato é que, para a pecuária de sucesso, as tecnologias vão desde a técnica de adubação do pasto, ensilagem até as mais modernas como Drones, Satélites, Ordenhas Robóticas, Termografia, Balanças e Cochos automáticos com sensores de controle de consumo.

Melhora a produtividade

O uso dessas inúmeras técnicas e tecnologias de manejo permitem que o produtor alcance maior eficiência produtiva da sua fazenda, potencializando a performance dos animais, produzindo mais, melhor e em menos tempo.

Diminui a possibilidade de falhas

Diversos softwares e aplicativos de controle e gestão da produção substituem as planilhas manuais com grande eficiência. Eles permitem o acompanhamento em tempo real da produtividade do rebanho, fazendo com que falhas sejam imediatamente identificadas, permitindo medidas corretivas mais rápidas e eficazes.

Aumenta o potencial de faturamento da atividade pecuária

Todo pecuarista que investe em uma inovação tem como objetivo final o aumento do seu lucro. Dessa forma, além de facilitar o trabalho no campo, a Pecuária 4.0 também aumenta a rentabilidade.

Tais benefícios são conquistados mediante a elevação da produtividade, aliada ao menor desperdício de recursos, culminando em grande economia, tanto de tempo, quanto no uso de insumos.

Promove a sustentabilidade

Sem sombra de dúvidas, a grande maioria das inovações tecnológicas adotadas dentro do setor agropecuário também têm como propósito a promoção da sustentabilidade, ou seja, o uso racional dos recursos, permitindo o seu aproveitamento pelas gerações futuras.

A tecnologia tem um papel bastante importante nisso, tornando o processo de gestão mais eficiente, tanto do rebanho, quanto dos recursos. A pecuária brasileira tem avançado muito nesta direção. De 1990 até 2019 a área de pastagens no brasil reduziu em cerca de 15,5% ao mesmo tempo que a produção de carcaça por hectare/ano aumentou 169%. Ou seja, estamos produzindo muito mais carne em menos área.

3- Diferentes sistemas de produção

O território brasileiro, em sua maior porção, possui clima favorável para a produção pecuária. Independente da região, quer seja para a pecuária na região nordeste, sul ou para a
pecuária no pantanal, possuímos excelentes condições de desenvolver sistemas de produção eficientes e adaptativos às condições.

Isso quer dizer que mesmo em condições mais áridas, ou condições mais frias, temos a natureza ao nosso favor para a criação de gado no Brasil.

O pastejo rotacionado, por exemplo, é uma ótima opção para quem deseja ter maiores ganhos por área (@/ha). Isto porque a rotação garante maior aproveitamento do pasto.

De forma simplificada, os sistemas de produção em pastejo rotacionado buscam alocar os animais em diferentes piquetes em períodos mais curtos de tempo, de forma que o rebanho só
retorne para o mesmo piquete após o pasto ter se recuperado.

O mais interessante dos sistemas de pastejo rotacionado, é que eles podem ser implementados tanto para pequenas áreas, quanto para grandes áreas.

Outra possibilidade está relacionada à implementação de sistemas integrados, como por exemplo, na integração lavoura-pecuária (ILP) e integração lavoura-pecuária floresta (ILPF).

O principal objetivo de implantação e uso de sistemas integrados de produção agropecuária é a maior produtividade por hectare, conjugando a produção agrícola e pecuária na mesma área.

Porém os benefícios dos sistemas integrados vão além da maior produção por unidade de área. Temos uma série de ganhos diretos e indiretos no sistema, os quais tentaremos listar e justificar o uso de tais sistemas tanto em benefício da pecuária quanto em benefício da agricultura, estabelecendo um jogo de GANHA-GANHA entre as duas atividades.

O sistema de produção de pecuária de corte tem se reinventado. A área de pastagem em território nacional recua ao mesmo tempo em que a produtividade aumenta, ou seja, produzimos mais carne com menos área. O principal benefício deste tipo de sistema de produção é justamente a maior produtividade por hectare, além do retorno econômico final, que é maior do que quando somados os ganhos da pecuária e da agricultura, em comparação a qualquer uma destas atividades em separado.

Além disso, segundo Felipe Coral Voltani, Supervisor Técnico-Comercial aqui na Nutripura, os ganhos secundários diretos e indiretos também são muitos para a agropecuária. Dentre os mais importantes, temos:

  • Rotação de culturas: quebra do ciclo de pragas e plantas daninhas estabelecidas ou não na área;
  • Melhora da estrutura do solo: aprofundamento do sistema radicular da planta forrageira, que age como um descompactador de solo e abre caminho para o aprofundamento de raízes das lavouras subsequentes;
  • Cobertura vegetal: proporcionada pela massa residual da planta forrageira, serve como proteção física da superfície do solo, diminui a erosão laminar e atenua a temperatura superficial do solo;
  • Maior período de ocupação da área: diminuição do período de pousio do solo, sem um uso econômico ou produtivo;
  • Ciclagem de nutrientes: maior exploração do perfil de solo pelo sistema radicular da planta forrageira;
  • Valorização do bem imóvel: capacidade de justificar o investimento na área em fertilidade, aquisição de novas áreas e investimento em infraestruturas;
  • Diversificação de renda: vários produtos sendo produzidos e comercializados dentro da mesma unidade produtora.

Dentre os modelos de produção, o confinamento ganha mais destaque a cada ano, devido ao grande leque de estratégias que pode representar, como por exemplo, ajuste de lotação da fazenda, auxiliar na compra de animais de reposição, permitindo ser utilizado como estrutura de recria confinada no período de transição seca-águas. Por permitir a engorda de um grande número de animais em pouca área e curto espaço de tempo, o planejamento da operação deve ser muito bem feito, pensando na compra ou escolha dos animais que vão entrar nas baias, na aquisição de insumos, nas boas práticas operacionais e na comercialização dos animais.

4- Sustentabilidade: A pecuária lucrativa precisa ser sustentável

 

Muitos podem pensar que a produção pecuária não investe em sustentabilidade. Porém, a verdade é justamente o contrário. Para ser lucrativa, todo tipo de atividade pecuária deve ser sustentável.

Assim, para que a atividade pecuária seja sustentável, o produtor deve pensar em 3 fatores: ambiental, econômico e social.

Todas as práticas e dicas aqui mencionadas convergem a favor da pecuária sustentável. O uso de tecnologias por exemplo, otimiza o uso dos recursos disponíveis, assim como a integração do pasto com outras culturas.

5- Bem-estar animal: animais confortáveis produzem mais

Não é de ontem que o bem-estar animal é uma pauta em foco no ambiente pecuário. Maus tratos não só reduzem severamente a qualidade e a lucratividade do rebanho, como também são considerados crime no Brasil.

Investir em bem-estar animal provavelmente está na categoria dos investimentos mais baixos quando o assunto é produção pecuária mais lucrativa, mas os benefícios são imensos.
Isto porque simples atitudes podem mudar drasticamente o bem-estar do rebanho. Pequenas práticas de manejo — sobretudo em épocas de pesagem e vacinação — reduzem o estresse
dos rebanhos e, por consequência, garantem que o animal não perca energia com desgastes desnecessários.

Água de qualidade e em abundância, assim como sombra e acesso à alimentação de alto valor nutricional, são também peças-chave para uma pecuária de alto valor.

Tanto na pecuária leiteira como na pecuária de corte, assegurar não somente alimento de maior qualidade, mas condições sanitárias apropriadas é fundamental para que maiores lucros
sejam obtidos.

Neste caso, não se trata apenas de aumentar os lucros, afinal um animal que não recebe cuidados adequados, que vive em constante estresse e não é bem nutrido deixa de expressar todo o seu potencial produtivo, e mais, o pecuarista pode até perder o animal em condições não apropriadas de criação.

Dica extra

Como bônus, vale conferir uma dica extra: Fique de olho nas tendências do setor!

Por mais laboriosa que seja a produção de gado, independente do nível tecnológico e de investimento que você tenha, diversas soluções são lançadas anualmente para otimizar a produção pecuária.

Leia sites de notícias, revistas e jornais do segmento, acompanhe também o nosso blog e fique atento com o que há de novo para garantir uma pecuária muito mais lucrativa.
O que achou das dicas? Conte para nós sua experiência com a pecuária!

Mantenha-se atualizado! Cadastre seu contato aqui, vamos te informar sempre que sair um novo conteúdo, em primeira mão!

    Pedro Silvestre de Lima

    Vivo a pecuária desde que nasci. Já fui monitor do curso Especialização em Nutrição de Ruminantes e Pastagens da ESALQ/USP durante dois anos e meio, trabalhei com consultoria técnica, empreendedorismo, mercado e inovação na pecuária de corte. Hoje atuo no fomento e disseminação de informações úteis e relevantes, com foco no lucro sustentável para o produtor rural.